Quando menos anti-idade é mais

Peeling químico e o uso indiscriminado de ácido retinóico podem causar vasinhos. Descubra quando menos anti-idade é mais!

Telangiectasias. O nome é complicado, mas o problema é comum: os vasinhos no rosto. “Grande parcela da população sofre com o problema, que confere sensação de envelhecimento”, conta a cirurgiã vascular e angiologista Aline Lamaita, membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular.

Mas o curioso é que um famoso conhecido da área estética por promover rejuvenescimento — o peeling químico com ácidos e retinol — pode ser um dos motivos do aparecimento dos vasinhos: “Quando fazemos peeling, estamos criando um processo inflamatório, ‘queimando a pele’ para ela descamar. Se esse processo for excessivo, abusivo, pode gerar, sim, os vasinhos no rosto”, argumenta a médica.

Vasinhos para se defender

A angiologista afirma que o aparecimento dos vasinhos tem relação com um mecanismo de defesa do organismo. “Toda vez que há um processo inflamatório em alguma região, o corpo entende que precisa cicatrizar, levando mais nutrientes e fatores de cicatrização para aquele local”, explica. Como ele faz isso? Fazendo uma vasodilatação, abrindo a circulação do local, para poder levar o que é necessário para cicatrizar. “Mas se você faz peelings químicos intensos e com muita frequência, sem orientação médica, isso provoca um grande processo inflamatório. “Para quem já tem tendência, essa circulação não vai embora, então os vasinhos aparecem”, fala a médica. “E em pacientes que tem rosácea, qualquer coisa que cause um processo inflamatório, até tomar sol em excesso e fazer uso de medicação mais forte, piora a rosácea e vai aparecendo vasinhos na bochecha, da região do malar e do nariz”, completa.

Segundo a médica, a predisposição individual é um principal fator ligado ao aparecimento das telangiectasias e veias na região do rosto — e até mesmo crianças podem apresentar o problema na pele. Mas há outros como: envelhecimento; exposição ao sol (os vasos aparecerem principalmente na face, pescoço e colo); gravidez; uso de cremes à base de corticoide; além da rosácea e excesso de peelings químicos.

Tem tratamento?

A Dra. Aline Lamaita ressalta que o uso de laser Nd Yag 1064 ou luz pulsada resolve o problema. “A luz pulsada é capaz de tratar a grande maioria dos vasinhos de face. Mas o Laser Nd Yag 1064 é o que existe de mais específico para tratamento de lesões vasculares apresentando maior efetividade no tratamento”, explica. O tratamento apresenta bons resultados, segundo a médica, é feito em média em uma a cinco sessões (dependendo do tipo de lesão) e tem grande nível de segurança, já que a dor é amenizada com uso de aparelhos resfriadores de pele.

Quantos aos cuidados antes e depois do tratamento, a médica detalha que não se deve aplicar cremes ou maquiagem no rosto no dia (para evitar interação com laser e evitar queimaduras), evitar a exposição ao sol durante cerca de uma semana, usar protetor solar com FPS 50 ou 60 e, em casos raros, especialmente para peles mais sensíveis, pomadas à base de corticóide. “É natural que, depois de algum tempo, os vasinhos voltem a aparecer, pois sua origem básica envolve fatores genéticos e hormonais, que não são modificados com o tratamento. O procedimento pode ser repetido, sem limite”, explica.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here