Como evitar manchas na pele

Verão combina com praia, piscina, picolé de limão, caipirinha de kiwi… Mas melhor tomar alguns cuidados para evitar manchas na pele.

Alerta de verão: frutas como o limão, laranja, mexerica, morango e figo são responsáveis, muitas vezes, por levar a um quadro de fitofotodermatose. “Esse é um tipo de dermatose causada pelo contato com frutas cítricas ou extratos das plantas e exposição ao sol”, conta a dermato Claudia Marçal.O limão, por exemplo, pode produzir queimaduras de até 3º grau! Sim, a fitofotodermatose causa manchas e até queimaduras na pele.

Xi, manchou!

De acordo com a médica, a dermatose ocorre nas áreas de contato com essas substâncias e que recebem a irradiação do sol. “Geralmente, elas surgem nas 24 horas seguintes, gerando um processo inflamatório”, avisa a médica. Ele se caracteriza por uma queimadura, eventualmente, com formação de bolhas, dependendo da intensidade da reação. Mas a característica principal das fitofotodermatoses é a pigmentação, que pode durar várias semanas. As manchas de pele são acastanhadas. “Há casos em que mesmo lavando-se as mãos, as manchas aparecem”, alerta Claudia.

 

Como tratar

“Em um primeiro momento, lave muito bem com água e sabão de pH neutro.” Usar água termal na sequência também ajuda bastante. Os cremes à base de pró-Vitamina B5 ou ácido pantotênico fazem uma oclusão, que ajuda a restabelecer a barreira da pele. Para não piorar o processo, use roupas de material 100% natural como o algodão e que protejam do sol.

Para tratar as bolhas, é recomendado o uso de pomadas à base de antibióticos locais e muita hidratação. “Se for um quadro de eritema difuso ou vermelhidão, com sensação de sensibilidade e ardência, eu indico lavar abundantemente a área, fazer uso da água termal em torno de 3 a 4 vezes ao dia, hidratantes fisiológicos à base de fosfolipídeos, de ceramidas, de vitamina E, de manteiga de karité, de ácido pantotênico. Tudo para recuperar e regenerar, ajudar no processo de cicatrização. Usar protetor solar com filtro físico, nunca químico, para proteger a área lesionada, é importante.

O FPS certo

Quanto ao desaparecimento das manchas, a médica conta que isso ocorre de forma espontânea e gradativa. Desde que a pele seja protegida da exposição ao sol, com filtros solares potentes e que contenham bloqueio físico, como óxido de zinco e dióxido de titânio. “Alguns ativos despigmentantes podem ser utilizados para acelerar o processo.”

Como evitar

Para evitar a fitofotodermatose, a médica ressalta que é muito importante tomar cuidado com o manuseio de frutas cítricas. Limão, tangerina, laranja, mexerica, morango e figo, cenoura, arruda, aipo, salsinha, coentro, erva-doce… Todos esses alimentos liberam substâncias que podem manchar e queimar a pele, após exposição solar.

Passeio no campo, fazenda e sítios também deve ser motivo de atenção, no contato com plantas e vegetais através da seiva, casca e espinhos. “Todas as vezes que manusear qualquer uma dessas substâncias, em especial as frutas cítricas, é necessário lavar não só com água, mas com água e sabão, tendo a certeza que todos os resíduos foram retirados. Deve-se tomar cuidado porque algumas vezes há alguns respingos em braços, abdômen, rosto e isso pode gerar queimaduras. E posteriormente a aplicação ou reaplicação dos filtros solares físicos para proteger essa pele”, finaliza.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here